Site da 813

Desde 2000 dedicado à transmissão AM QRO

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Colunistas

Classes de Amplificadores

E-mail Imprimir PDF

Os amplificadores eletrônicos funcionam regulando a corrente elétrica proveniente de uma fonte de tensão contínua através de um elemento controlador entre ela e a carga, sendo esta última um alto falante, antena ou outro tipo qualquer de transdutor. Este elemento controlador (que pode ser uma válvula termoiônica, um transistor bipolar ou de efeito de campo) varia sua condução proporcionalmente a uma tensão ou corrente de controle de  intensidade bem menor que o sinal aplicado à carga. Como sobre o elemento controlador existe tensão e corrente elétricas, sempre há perda de energia na forma de calor igual à diferença entre o que é retirado da fonte e o que é fornecido à carga. A proporção entre a potência elétrica aplicada à carga e a retirada da fonte determina o rendimento do amplificador:

h = (PotCarga/PotFonte) x 100  % 

Amplificadores de potência para uso em rádio frequência, áudio ou outro tipo de sinal analógico devem apresentar a menor perda possível e ao mesmo tempo alta linearidade, que é a medida da semelhança entre a forma do sinal de entrada e a do sinal fornecido à carga. Perdas significam maior tamanho, custo e consumo de energia, e linearidade é necessária para garantir a fidelidade do sinal amplificado, salvo em certos tipos de modulação em fase e frequência. No caso de transmissores de RF com variação de amplitude, quanto maior a linearidade, melhor inteligibilidade e menor interferência aos demais usuários do espectro.

Infelizmente estes requisitos são mutuamente exclusivos: quanto melhor a eficiência, pior a linearidade e vice-versa, como veremos nesta análise das classes de amplificação mais conhecidas, que diferem entre si pelo modo de polarização, ou condições de trabalho sem sinal. Para simplificar irei abordar apenas a linearidade e rendimento característicos de cada classe, deixando de lado o ganho de potência, que é a relação entre a potência fornecida à carga e a do sinal de entrada. Este parâmetro requer análise mais detalhada e depende muito do tipo de dispositivo empregado.

Os resultados exibidos são qualitativos, sem a demonstração analítica, e confirmados por simulação em computador.

As simulações em computador (O programa Simetrix Intro V5.2 está disponível para download gratuito no site http://www.simetrix.co.uk) apresentadas a seguir utilizam modelos matemáticos dos componentes, apresentando resultados bastante semelhantes à realidade. Os níveis de potência em cada classe de funcionamento estão próximos aos limites do componente simulado (transistor MosFet IRF530)

Os gráficos associados aos diagramas esquemáticos representam a tensão na carga e a tensão e corrente presentes no transistor.

O produto da corrente pela tensão constitui a potência dissipada no transistor,  que determina o rendimento característico de cada classe de funcionamento: Quanto mais coincidentes no tempo essas duas grandezas mais o transistor dissipa e menor o rendimento. Amplificadores de maior rendimento apresentam baixos valores de corrente enquanto a tensão é alta e vice-versa.

Pode-se também  estimar a linearidade observando a "qualidade" da forma de onda na carga,  já que a entrada é sempre senoidal. 

Classe A: O elemento controlador é polarizado de modo a conduzir durante todo o ciclo de sinal, ou seja 360o. Deste modo, não há descontinuidade significativa. O máximo rendimento teórico em classe A é 30%, e pode-se obter 100dB ou mais de redução para os componentes espúrios originados por distorção. Realimentação negativa também é utilizada para este propósito. A corrente quiescente (sem sinal) no elemento controlador é maior ou igual à metade da corrente de pico fornecida à carga.  É indicado para amplificadores de baixa potência e que necessitam de extrema linearidade, como em circuitos de entrada em receptores de RF e pré-amplificadores de áudio. Alguns amplificadores de potência em áudio utilizam classe A para a obtenção de alta linearidade, naturalmente a custo da eficiência.

 

fig1
fig2 Frequência do sinal: 1MHz

Pot.saída: 8,5W

Rendimento: 26,5%

 

Classe B: Nesta classe de funcionamento o elemento controlador conduz somente durante o meio ciclo positivo ou negativo do sinal. Para reduzir a distorção, usa-se circuito simétrico em push-pull ou a carga é sintonizada, sendo o ciclo completado pelo efeito flyweel (volante de inércia) de um circuito ressonante na frequência de operação, como no exemplo abaixo. Neste caso o sinal a ser amplificado deve ser limitado à uma faixa estreita de frequências, dentro da banda passante de um circuito sintonizado LC. A eficiência de um amplificador classe B é da ordem de 60%. Na região de crossover (transição em zero) estes amplificadores apresentam considerável distorção, que pode ser reduzida por realimentação negativa. A corrente quiescente é zero. A classe B é utilizada em amplificadores sintonizados de RF e áudio de qualidade não muito exigente como moduladores de AM.

 

fig3
fig4

Frequência do sinal: 2MHz

Pot.saída: 13.5W

Rendimento: 55,5%

 Classe AB: A polarização nesta classe implica na condução em pouco mais que meio ciclo do sinal. A polarização mantem uma corrente quiescente baixa, menor que 10% da corrente de pico, o que reduz a distorção na região de crossover, onde o amplificador efetivamente opera em classe A. Pode-se esperar rendimento da ordem de 50%, e sinais espúrios abaixo de -30dB (sinal de teste de duplo tom). A maioria dos amplificadores lineares comerciais de HF utilizam esta classe de funcionamento, bem como os estágios finais de transceptores SSB. Feedback pode ser usado, em geral a custo de redução de ganho. Amplificadores de áudio de alta fidelidade tanbém utilizam este tipo de polarização, aliada a forte realimentação negativa. Existem ainda as sub-classificações AB1 e AB2, referentes ao valores de corrente de grade nos amplificadores à válvulas.

Classe H: Não é uma classe à parte e sim uma variante da classe B ou AB onde duas ou mais fontes de alimentação são conectadas dinâmicamente ao amplificador, dependendo do valor da tensão de pico do sinal amplificado. Como o rendimento aumenta à medida que o valor de pico do sinal se aproxima da tensão da fonte, o rendimento global do amplificador é melhorado.

Classe C: O ângulo de condução fica abaixo de 180o. A condução é concentrada no pico negativo do sinal, onde a tensão sobre o elemento controlador é menor, sendo necessário carga em paralelo com circuito ressonante. Consegue-se eficiência da ordem de 70%, mas o amplificador não é linear. É utilizado em transmissores de FM, onde a amplitude é constante, ou em estágios finais de AM, sendo neste caso a modulação de áudio sobreposta à polarização de anodo (ou coletor/dreno), e o sinal RF de entrada mantido constante. A distorção harmônica é reduzida a níveis aceitáveis pelo efeito seletivo da ressonância paralela.

 

fig5
fig6 Frequência do sinal: 2MHz

Pot.saída: 33.3W

Rendimento: 69,5%

 

Classe D: Neste tipo de circuito o elemento controlador trabalha saturado ou cortado sobre carga resistiva ou indutiva, apresentando forma de onda quadrada ou retangular na tensão de coletor ou dreno. A alta eficiência é conseguida pelo fato do elemento controlador não ser submetido à tensão e corrente simultâneamente a maior parte do tempo. A perda de energia ocorre na transição entre corte e saturação e deve ter o menor tempo possível em relação ao período do sinal amplificado, o que limita a sua aplicação em frequências altas.

Uma vantagem deste modo de amplificação é que pode ser linear, no sentido em que a potência do sinal de saída pode ser proporcional a do sinal de entrada, desde que se faça variável a proporção entre o tempo de saturação e o de corte segundo aquele sinal. Deste modo, o valor médio do sinal de saída segue o sinal de entrada. A carga normalmente é precedida de um filtro passa baixos com frequência de corte abaixo da frequência de comutação, deixando passar apenas o sinal amplificado. É utilizado em fontes de alimentação chaveadas, onde o sinal de saída é DC e a comutação entre 10Kz e 200KHz, e em amplificadores de áudio e moduladores de alta eficiência, comutando entre 50KHz e 500KHz.

A eficiência fica em torno de 90%, dependendo da frequência de comutação e da velocidade dos comutadores.

 

fig7
fig8

Frequência do sinal: 1KHz

Frequência de chaveamento: 50KHz

Pot.saída: 142W

Rendimento: 89,9%

fig9

 

Classe E:  Nesta classe de funcionamento o elemento controlador também trabalha saturado ou cortado, mas não há corrente e tensão simultâneas durante a comutação. A carga é precedida por um circuito ressonante LC série, projetado de modo a apresentar um pulso de tensão no elemento controlador quando este está cortado. A alimentação de energia é através de fonte de corrente, no caso um indutor de alta reatância. Quando o elemento controlador satura, a tensão é zero, imposta pelo circuito ressonante, e a corrente é alta. Quando o transistor corta, a corrente circulante no indutor fornece energia ao circuito ressonante. Deste modo, a ausência de corrente e tensão simultâneas no transistor permite eficiência superior a 90%. Evidentemente não é linear, sendo sua aplicação limitada aos casos do parágrafo anterior. O circuito é assimétrico, resultando em forte conteúdo harmônico deve ser eliminado por circuitos de alto Q ou filtragem adicional.

Tem sido utilizado em telefones celulares, onde a eficiência é muito importante. O fato da capacitância de saída do transistor fazer parte do circuito ressonante também facilita o uso em UHF. Alguns experimentadores tem construído transmissores de AM em HF empregando esta técnica e também existem amplificadores comerciais em eletro-metalurgia e broadcasting.

 

fig10
fig11

Frequência do sinal: 7MHz

Pot.saída: 110.3W

Rendimento: 95,5%

 

Classe F: Também chamada de HCA (harmonically controlled amplifier) esta classe de funcionamento assemelha-se à classe E em circuito simétrico. A carga é um circuito ressonante paralelo, mas isolado dos comutadores de forma a cada lado apresentar meio ciclo de tensão do sinal, que são somados na carga completando a senoide. A corrente flui nos comutadores alternadamente durante a saturação destes. Outra forma de analisar o seu funcionamento e que dá origem à sigla HCA é que os comutadores "vêem" carga resistiva na frequência de operação, circuito aberto para as harmônicas ímpares e curto-circuito para as harmônicas pares, devido às características da topologia e da resposta em frequência da carga ressonante.

Apresenta reduzido conteúdo harmônico devido à simetria, permitindo baixo Q no circuito de carga e facilidade de ajuste. A desvantagem em relação à classe E é que as capacitâncias parasitas dos comutadores e circuitos adjacentes não fazem parte do circuito ressonante da carga, devendo ser minimizadas. Pode-se esperar eficiência acima de 90% , dependendo da qualidade dos comutadores e da frequência de trabalho.

Esta configuração ainda tem poucas aplicações comerciais, concentrando-se em novas tecnologias de celulares, rádio difusão e eletro-metalurgia.

Como o ângulo de condução é 180o e a topologia permite, este circuito presta-se a uma forma híbrida, ou "Classe ABF". Para pequenos sinais comporta-se como classe AB e migra para classe F quando se aproxima da saturação. A linearidade neste caso é ruim, devendo ser compensada por feedback atuando na polarização de dreno (ou coletor, ou placa). Pode-se conseguir deste modo conciliar alta eficiência com boa linearidade.

 

fig12
fig13

Frequência do sinal: 7MHz

Pot.saída: 231W

Rendimento: 91,5%

Última atualização em Ter, 17 de Março de 2015 12:58

QRO e o Lado Negro da Força!

E-mail Imprimir PDF

Nesta edição de 2009, o encontro dos Amigos do Campos e Amantes do AM em Sorocaba-SP, antigamente povoado quase que exclusivamente por operadores e construtores de equipamentos QRO foi literalmente tomado pela turma dos QRPs, SDRs e afins....

py2xt_813Para não deixar por menos, uma bela investida foi feita para trazer um dos integrantes da turma dos QRPs para o lado QRO!!!

Um dos mais caprichosos montadores de QRPs, o Celso PY2XT, aquele da famosa Ferramentaria Lima, pôde ser  flagrado pelo olhar atendo do Adinei PY2ADN, enquanto era arrastado por mim para o "Lado Negro da Força" dos QRO, utilizando duas válvulas 813 como "isca"!!!

Imagine se o "Bicho do QRO" pega o Celso, com toda aquela prática de montagem mecânica, como não sairiam seus transmissores de alta potência?!?!

Dizem as "más linguas" que ele montou um QRP dentro do bulbo da 813, o que não é de duvidar em vista de sua prática de montagem... Outros estão dizendo que não é uma 813 Philips (QB2/250), mas sim uma peça artesanalmente construída com a "feição" de 813, mas na realidade limitada a fornecer somente os "maledetos" 5W máximos do QRP... Os moderadores da QRP-BR terão até uma reunião extraordinária para discutir qual a penalidade que será imposta ao colega!

Agora é só esperar ele pegar gosto pelos QROs!!! 

Última atualização em Qui, 28 de Maio de 2009 20:16

Concurso MMAA no Getscores

E-mail Imprimir PDF

Para os telegrafistas e contesteiros de plantão, que ocasionalmente visitam o site 813AM, está acontecendo neste momento o MMAA - Manchester Mineira All America CW Contest!

Mais detalhes podem ser vistos no site mantido com muita carinho e determinação pelo Edson PY4WAS: http://www.powerline.com.br/cwjf/port4.htm

Para que quiser acompanhar "ao vivo" o conteste pela Internet, o Vitor - PY2NY e o Luc - PY8AZT conseguiram, com ajuda do Dave K1TTT, acrescentar no site Getscores mantido pelo Gerry - W1VE o score online do conteste: http://www.getscores.org/

Veja uma tela do getscores com alguns resultados das estações sendo postados:

mmaa_getscores

 

RF Game da 813 AM

E-mail Imprimir PDF

A alguns meses atrás, fazendo uma parada em minhas muitas viagens a trabalho, passava por Pirassununga - SP e como sempre parei para uma visita ao shack do Marco - PY2CWW.

Conversamos bastante sobre montagens, propagação, antenas, falamos bem (e mal) de vários macanudos e em uma das conversas saiu a idéia de colocar uma máquina daquelas de pinça para agarrar brindes, muito comuns em bares e postos de beira de estrada, recheada de componentes eletrônicos em um dos encontros de rádio ou até mesmo na Fenarcom (na época ainda esperada para 2009) e ver o pessoal se divertir...

O Marco de imediato já começou a esboçar o desenho no guardanapo da pizzaria e depois de algum tempo vejam só a charge que ele me enviou! Parabéns Marco pelo belo trabalho! Vejam outras charges na página da RST

 813_game_final

Última atualização em Seg, 13 de Abril de 2009 23:47

O Comandante da Rodada Manhaneira

E-mail Imprimir PDF

O Comandante da Rodada Manhaneira 

Texto: Leo Weber – PY3ST

Fotos: Lauro M. Müller – PY3BZM

Quando convidei o Lauro (PY3BZM) para subir a serra gaúcha e visitar o Danilo Marcon (PY3KL), em Caxias do Sul, recebi um “sim” entusiasmado, pois, afinal de contas, iríamos conversar com um radioamador raro, pessoa especialíssima e com raras qualidades. Procuramos apresentá-las aqui para os amigos da página 813 e tomara que todos apreciem este início de notícias aqui do sul.

 Marcon começou suas atividades no rádio no início da década de 80. Foi convidado por um amigo da família, que casualmente visitou-o num domingo à tarde e mostrou-lhe a maravilha da propagação “escancarada” e a possibilidade de falar com outras pessoas distantes. Sua primeira investida deu-se com um rádio comprado na antiga rede de magazines Hermes Macedo, quando lá foi para trazer um eletrodoméstico para sua esposa D. Ruth (infelizmente falecida em 2008) e retornou sem o pedido, mas com um flamante PX embaixo do braço !

 Após passar por breve período como operador de 11 metros, Marcon participou de um curso organizado por um grupo de radioamadores caxienses (Rui – PY3CKP, foi responsável pela telegrafia; Vitor – ficou responsável por ética e legislação; Eugênio – PY3CMW, apresentou os conteúdos de radioeletricidade), o que possibilitou a 15 novos colegas fazerem o exame no Dentel, em Porto Alegre, e ascenderem à classe C. Em 1984, Marcon passou a operar como PU3VVF.

 Durante o curso, Eugênio (PY3CMW), que na vida profissional atua como odontólogo, ensinou como fazer a montagem de um pequeno transmissor de AM. Depois da certeza de ter passado nas provas da capital, Marcon montou o seu primeiro transmissor: 1 x 6DQ6 na rádio freqüência, modulada por um módulo transistorizado de carro, muito comuns na época. Com um receptor Delta 209 e muita vontade, chegou a preencher 2 cadernos fornecidos pela Labre para anotar os contatos efetivados.

 Começou a participar de rodadas de praticantes de AM e numa delas, onde participavam os experientes montadores Schaeffer (PY3UB – SK), Karel (PY3VKM - SK) e Michelon (PY3BLR – SK), com os quais aprofundou seus conhecimentos sobre experimentos eletrônicos, aperfeiçoou-se na arte de confeccionar transmissores de rádio. Montou, sucessivamente, equipamentos maiores e mais potentes:

2 x 6146 moduladas por  2 x 6DQ6 em triodo especial;

2 x 813 moduladas por 2 x 812;

2 x 813 moduladas por 2 x 805;

2 x 6LW6 moduladas por 2 x 6LW6 (duas versões);

1 x 813 modulada por 2 x 811;

finalmente, 1 x 4/400 modulada por 2 x 813.

As fotos de vários destes equipamentos no seu shack bem demonstram sua habilidade e dedicação.

 A Rodada Manhaneira chegou na sua vida e não mais saiu. Convidado pelo Patrono Ampélio (PP5ARQ e depois PY3AVT – SK), está há dez anos no seu comando. Sua calma e presteza podem ser admiradas até mesmo pelos colegas do centro do país, em 3.660 kHz, diariamente das 6h30 às 8h.

 Para o Marcon, as montagens são uma verdadeira “cachaça”, sendo realizadas pelo prazer de montar e, é claro, para cada vez dispor de transmissores mais potentes. Como também tem o hábito de restaurar receptores, dispõe de vários com aparência impecável e perfeitas condições operacionais (vejam as fotos: Hammarlund SP-600, Hammarlund HQ170, Hallicrafters S40, Drake R-2B, Delta 209, entre outros). Seguindo sempre o mesmo princípio, com um sistema horizontal e com maior dimensão na profundidade, seus TXs são marcados pela perfeita harmonia e capricho. No alto dos seus 69 anos, já tem planos para o seu próximo projeto: adotará, pela primeira vez, uma montagem vertical com racks e será um transmissor pesado, com certeza !!!

 Relação de fotos:

 

Foto 01: PY3KL (Marcon no seu shack – ao seu lado o TX com a 4/400)

foto01_marcon_4_400

Foto 02: PY3KL (Marcon – à esquerda) e PY3BZM (Lauro – à direita)

foto02_marcon_lauro

Foto 03: PY3KL (Marcon – à esquerda) e PY3ST (Leo – à direita)

foto03_marcon_leo_01

Foto 04: Transmissor 1 x 4/400 modulada por 2 x 813 (vista frontal)

foto04_4_400_frente

Foto 05: Transmissor 1 x 4/400 modulada por 2 x 813 (modulador)

foto05_4_400_modulador_2x_813

Foto 06: Transmissor 1 x 4/400 modulada por 2 x 813 (RF)

foto06_4_400_rf

Foto 07: Transmissor 1 x 813 modulada por 2 x 811 (vista superior)

 foto07_813_cima

Foto 08: Transmissor 1 x 813 modulada por 2 x 811 (outra vista superior)

foto08_813_cima_01

Foto 09: Transmissor 1 x 813 modulada por 2 x 811 (vista frontal)

foto09_813_frente

Foto 10: Transmissor 1 x 813 modulada por 2 x 811 (RF)

foto10_813_rf

Foto 11: Transmissor 2 x 6LW6 moduladas por 2 x 6LW6 (modelo 01)

foto11_6lw6_cima_versao01

Foto 12: Transmissor 2 x 6LW6 moduladas por 2 x 6LW6 (modelo 02)

foto12_6lw6_cima_versao02

Foto 13: Receptor Hammarlund SP-600

foto13_sp_600

Foto 14: Receptor Drake R-2B

foto14_drake_2b

Foto 15: Receptor Hallicrafters S40

foto15_hallicrafters_s40

Foto 16: Receptor Hammarlund HQ170

foto16_hq170

 

Última atualização em Sáb, 06 de Outubro de 2012 20:00

Pagina 6 de 7


Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 129

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 135

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 129

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 135

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 129

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 135

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 129

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 135

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 129

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 135

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 129

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 135

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 129

Warning: Illegal string offset 'active' in /home/813am/www/templates/ja_purity_ii/html/pagination.php on line 135

Usuários Online

Nós temos 43 visitantes online

Direitos autorais

Copyright © 2020 813am.qsl.br. Todos os direitos reservados.
Designed by JoomlArt.com.
Joomla! é um Software Livre com licença GNU/GPL v2.0.
Você Está Aqui